Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Os Bastidores
Explicações

Milton Nascimento se explica após dizer que música brasileira “está uma merda”

O lendário músico brasileiro Milton Nascimento foi centro de uma polêmica nestes últimos dias após ter declarado em entrevista que “a música brasileira está uma merda”.

Acontece que a frase foi, segundo ele, tirada do contexto da conversa na qual surgiu. Em postagem feita em seu Instagram, Bituca esclareceu sua afirmação: “[…] se refere exclusivamente à música feita no mainstream do mercado nacional, consumida pela massa” e somente a ela.

Ainda na mesma entrevista, Milton cita Maria Gadú Tiago Iorc como nomes de quem ele gosta na nova geração. Cita ainda Criolo — mas diz que “ele não é tão novo”. Na postagem, entretanto, o músico do Clube da Esquina aumentou a lista e incluiu artistas de vários gêneros musicais:

“Um salve para Zé Ibarra, Tom Veloso, Amaro Freitas, Dani Black, Silva, Rubel, Tim Bernardes, Djonga, Emicida, Beraderos, Rincón Sapiência, Liniker, Marcia Castro, Luedji Luna, Cicero, Mallu Magalhães, Céu e a tantos outros queridos amigos que estão e vão estar sempre por aqui.”

Veja abaixo a postagem na íntegra.

Milton Nascimento no Instagram

O Instagram de Milton tem sido bem ativo. Como contamos por aqui, o lendário músico brasileiro foi às lágrimas ao rever vídeo de parceria com Elis Regina e a sua reação foi postada em sua página na rede social.

Além disso, mais recentemente, ele apareceu mais uma vez rindo ao ser citado em vídeo que ironiza “fim da mamata”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Fora do contexto, o título de uma reportagem pode levar o leitor a conclusões equivocadas. A frase escolhida para a manchete da entrevista que Milton Nascimento deu à jornalista Monica Bergamo (foto acima) se refere exclusivamente à música feita no mainstream do mercado nacional, consumida pela massa. E só a ela. Justamente por isso, os únicos citados por ele como contra-exemplo foram Maria Gadú e Tiago Iorc, dois dos raros artistas talentosos que transitam nesse universo industrial. Bituca jamais se referiu à nova geração brasileira que, à parte do mainstream musical, tem construído a melhor música desse novo tempo. Milton tem muitos desses artistas por perto. São seus amigos. E conhece profundamente o que eles têm feito por nossa música. Um salve para Zé Ibarra, Tom Veloso, Amaro Freitas, Dani Black, Silva, Rubel, Tim Bernardes, Djonga, Emicida, Beraderos, Rincón Sapiência, Liniker, Marcia Castro, Luedji Luna, Cicero, Mallu Magalhães, Céu e a tantos outros queridos amigos que estão e vão estar sempre por aqui.

Uma publicação compartilhada por miltonbitucanascimento (@miltonbitucanascimento) em

Publicações relacionadas

Deixe um comentário